TIME GRANDE CAI, SIM. E DE QUATRO!

Palmeiras não brilha na Arena, mas ainda assim goleia – de novo – o São Paulo/SP

Um dos mantras que a torcida tricolor tem alardeado desde que começou este Campeonato Brasileiro é que “time grande não cai”. Muito mais, até, do que a óbvia provocação aos seus dois maiores rivais, já rebaixados à Série B da competição, tal frase espelha a soberba que não só o torcedor são-paulino, mas também a diretoria são-paulina jamais fizeram questão de esconder – para eles, as glórias que vêm do passado, como diz um dos versos do seu hino, já são capazes de impedir que o clube passe pela idêntica humilhação vivida por palmeirenses e corintianos.

Ocorre, porém, que quem não desce do salto pode, sim, descer de série, e o time do Morumbi parece bastante disposto a confirmar tal tese. Senão, vejamos: a equipe consegue abrir o placar nos primeiros minutos diante de um adversário que cumpre campanha infinitamente superior, e no campo deste. Por pouco, não amplia a vantagem para 2 a 0 com aquele chutaço de Marcos Guilherme, aliás um dos dois únicos acertos da atual gestão são-paulina. Mas o que acontece pouco depois? Leva dois gols em três minutos, toma a virada (e aqui vão todos os méritos a Willian Bigode) e, atônita, passa simplesmente a assistir ao Palmeiras. Não fosse o talento de Hernanes (eis aqui a outra bola dentro de Leco que tais), teria terminado a etapa inicial perdendo um jogo que poderia, facilmente até, estar ganhando.

E por que, ao final do clássico na Arena Palestra Itália, o placar apontou mais uma goleada alviverde (a quarta em cinco jogos em seu novo estádio diante do tradicional rival)? Porque o nosso treinador, meus amigos, percebeu que o São Paulo/SP enfrenta em seu lado defensivo direito a mesma situação que nós enfrentamos em nosso lado defensivo esquerdo: a total ausência de um jogador que resolva o problema. Cuca, que começou mal demais ao deixar no banco Thiago Santos, pois jamais se deve abrir mão do melhor marcador do time, sacou que o tal do Buffarini e um horror e, utilizando-se de muita “ousadura”, sacou Bruno Henrique e colocou Keno.

Deyverson e Willian: ao lado de Tchê Tchê, os melhores em nova goleada do Verdão sobre o São Paulo

O ponta-esquerda do Verdão, mesmo sem ter tido uma brilhante atuação, foi fundamental para aumentar a pressão que a equipe já impunha. E ao trocar de posição, vez ou outra, com Deyverson, acabou sendo agraciado com um belo passe do centroavante e fez mais um golaço, o terceiro do Palmeiras e o segundo da virada. Por fim, para qual lado foi o brilhante lançamento de Tchê no lance do quarto gol? Para o esquerdo, claro, onde Bigode dominou e presenteou o jovem Hyoran.

Outro ponto importante desta vitória que contou com a participação do técnico palmeirense foi a inversão das posições de Edu Dracena e Luan. No primeiro tempo, ambos bateram cabeças e falharam nos dois gols são-paulinos, e o motivo ficou evidente: o ex-vascaíno tem enormes dificuldades de jogar pelo lado esquerdo da defesa, na função de quarto-zagueiro. Bastou trocar de posição com seu companheiro de zaga no segundo tempo e passou a ter uma atuação semelhante às que o levaram à Seleção Olímpica brasileira e, também, a ser contratado pelo Verdão.

Finalizando, amigo palmeirense, estes 4 a 2 que impusemos ao São Paulo (que se juntam às quatro vitórias anteriores em nossa nova Arena – 25.03.15, 3 a 0; 28.06.15, 4 a 0; 07.09.16, 2 a 1; e 11.03.17, 3 a 0) servirão para termos um pouco mais de tranquilidade até que voltemos a campo, somente daqui a 12 dias) e, também, para que os arrogantes do Jardim Leonor aprendam que time grande cai, sim – e alguns até de quatro. 

ANÁLISES INDIVIDUAIS

FERNANDO PRASS – 5
REGULAR

JEAN – 4,5
RUIM

EDU DRACENA – 4,5
RUIM

LUAN – 5,5
SATISFATÓRIO

MICHEL BASTOS – 5,5
SATISFATÓRIO

BRUNO HENRIQUE – 5
REGULAR

TCHÊ TCHÊ – 7
ÓTIMO

MOISÉS – 4
MUITO RUIM

GUERRA – 5
REGULAR

DEYVERSON – 6,5
MUITO BOM

WILLIAN BIGODE – 7,5
ÓTIMO

CUCA – 6
BOM

KENO – 6
BOM

HYORAN – 6
BOM

THIAGO SANTOS – 5
REGULAR

FOTOS: CÉSAR GRECO / AG. PALMEIRAS

27 Responses to TIME GRANDE CAI, SIM. E DE QUATRO!

  1. Macio,

    E essa falta de confiança do Prass?!?!

    O goleiro que chegou no Palmeiras, peça fundamental na conquista da Copa do Brasil, não teria tomado aquele segundo gol.

    • Márcio Trevisan

      Oi, Heber.

      Prass não falhou em nenhum dos gols, mas poderia pelo menos ter tentado segurar a bola que originou o segundo.

      De fato, pareceu-me sem reflexo naquele momento.

      Abs.

  2. ANTONIO o VERDÃO

    Grande Márcio

    Definitivamente não temos laterais e nem Zagueiros.
    O Luan, é muito leiteiro(gíria daqui para zagueiro que entrega jogo)o Dracena tsc tsc tão ruim quanto, só se salvou neste jogo por ter bloqueado um ataque e por sorte ter se transformado em um contra-ataque.
    Tchê Tchê voltou a jogar, o Dayverson, mostra mais vontade e vibração que o Borja, mas é tão limitado quanto o mesmo.
    Já reparou como o Thiago Santos da um gás na marcação, parece que o homem incorpora o ainda vivo Amaral junto com o traíra Magrão(2003 a 2004) além de saber sair jogando, não lá estas coca cola toda, mas é melhor que dar chutão.
    Assim, só discordo da nota dada a ele(Thiago S.)dou um 6 por melhorar demais o setor defensivo e ao Tchê Tchê um 6, não jogou para merecer um 7, 6 por causa do lançamento pro William tá bom demais.

    Abraço Marcio

    • Márcio Trevisan

      Olá, Verdão.

      Gostei que vc informou algumas notas. O espaço aqui é também para isso.

      Abs.

  3. Estou tão empolgado com o time do Palmeiras, que somente hoje, terça feira estou fazendo meu comentário.
    Não mudo 1 mm do que penso atualmente sobre o elenco.
    Quero que “enfiem esta vaga pra Libertadores da America no meio… da lata de lixo” !
    Como penso no Palmeiras como um gigante a nível mundial, tem que fazer uma análise profunda no elenco pra montarmos um time competitivo e VENCEDOR pra 2018.
    Tem que ser analisado os jogadores veteraníssimos que estão com reflexos e velocidade totalmente comprometidos casos, de Prass, Zé Roberto, Dracena, etc…
    Tem que ser analisado os jogadores que ESCANCARADAMENTE estão com problemas físicos seríssimos, casos do incurável Arouca e Jean que tem problemas sérios de joelho.
    Tem que ser analisado os casos dos “pés de patos”, Fabiano , Mayke, Egidio, Antonio Carlos, Juninho, etc…
    Tem que ser analisado o caso do “marrentinho” que só joga futebol de 1ª grandeza no Allianz Parque, fora é um “bichinho de pelúcia”.
    Tem que ser analisado o caso do Borja, ou aumenta consideravelmente o salario dele, que é um dos mais baixos do elenco, ou vende, empresta, doa o cara pra ele fazer centenas de gols em outro time.
    Tem que ser analisado o caso do Eric dorminhoco.
    Tem que ser analisados os casos dos jogadores que receberam propostas, não foram negociados e o futebol dos ditos cujos estão ridículos, casos de Roger Guedes e Tche Tche.
    Divirta-se neste fim de ano Mauricio Galliotti !

  4. Sei lá, foi uma partida muito estranha, vencemos de 4×2 como poderíamos ter perdido pelo mesmo placar, não é um time confiável infelizmente.
    Como ganhou não vou pegar pesado. abraços.

    • Márcio Trevisan

      Tem razão, Maciel: poderíamos ter perdido, sim, sobretudo se os caras tivessem aberto 2 a 0.

      Abs.

  5. PAULO SERGIO

    Vi um padrão de jogo e um esquema um pouco melhor.
    Não rifamos bolas, procuramos o toque, a movimentação.
    Muito por conta da partida do Tche Tche e do Moises, que mesmo não tendo feito uma boa partida, faz o jogo fluir, como toques ao inves de correr com a bola.
    Guerra ainda corre um pouco, mas é sua característica.
    Para mim Jean precisa ir para o banco.Impossível o Mayke estar pior que o Jean.
    Dracena uma partida para esquecer, embora tenha feito a jogada da partida no desarme que saiu o 3º gol quando estávamos sendo pressionados.
    Luan dentro do normal, principalmente quando passou da esquerda para a direita e M. Bastos fez o que um lateral tem que fazer, chegar a linha de fundo.
    B. Henrique outro que se não deslanchar, não desenvolver, será banco.
    Dois jogadores demasiadamente burocráticos, Jean e B. Henrique.
    Dayverson batalhador, embora creio que não seja a solução para o ataque e William o “cara” do jogo.
    Keno mostrou que quando entra durante o jogo é muito mais eficaz e produtivo ao time, Hyoran uma chance a quem quase não jogou e T. Santos não pode ficar no banco.
    No mais , uma vitória sobre nosso FREGUES ALLIANZ PARQUE.
    Alias não só no Allianz.
    O São Paulo não vence o Palmeiras como visitante desde 2007.
    Podemos não ter ganho no Morumbi mas vencemos como visitante , no Pacaembu, campeonato paulista de 2016

  6. Leonardo Madureira

    Boa tarde Marcio,

    Acho que o time ta caminhando para ter um padrão. Tomara. Te falei faz tempo do Hyoran hein? Ele sempre levou perigo quando entrou, e desta vez guardou o dele. Espero coisas boas dele no Verdão.

    Com relação ao Moisés, discordo da sua nota pelo simples fato de que a presença dele parece melhorar todos ao redor, como se fosse uma aura de bom futebol.

    Agora vamos torcer para que nessa boa folga, o cuca entrose mais o time, e comecemos mesmo que tardiamente nossa arrancada rumo a melhor posição possivel.

    Abraço

    • Márcio Trevisan

      Oi, Léo.

      A nota e a avaliação do Moisés se aplicam ao futebol que ele jogou. E, neste clássico, ele errou muito mais do que acertou.

      Abs.

  7. José Aparecido- Mogi das Cruzes

    Boa tarde a todos!
    Vitória excelente com belos gols.
    Sem sombra de dúvida, nosso time esteve bem nesta partida com muitas qualidades, mas não podemos esquecer que temos que melhorar muito, principalmente o sistema defensivo.
    Primeiro gol do SP, como o BH perde a bola de cabeça pro nanico do Cuevas?
    Na sequencia o MB perde na velocidade pro M.Guilherme?
    Segundo gol do SP…um festival de lambanças.Jean horrível.
    Edu Dracena já deu, muito lento.
    Prass sem reflexo.
    Mas vamos acreditar que coisas melhores virão…ainda este ano.

    • Márcio Trevisan

      Zé: para ser bem sincero, a única coisa melhor neste ano deverá ser a classificação para a Libertadores/2018.

      Algo além disso sera felicidade demais.

      Abs.

  8. Marcelo Camargo

    Bom dia,
    Só pude assistir ao segundo tempo completo e à noite consegui ver uns poucos lances do primeiro tempo nos repetecos.
    Já havia lido uma crítica do jogo em outro site e não estava entendo nada. Minha opinião era completamente diferente!
    Concordo integralmente com as notas dadas. Gosto muito do Moisés e ontem ele foi fraco. O Guerra até hoje deve uma grande exibição. O Jean foi mal! Não podemos nos enganar com um placar dilatado em um jogo em que estivemos várias vezes muito vulneráveis.
    Noto muita insegurança e nervosismo. Não entendo porque, afinal muitos ali são suficientemente rodados para não administrarem esta situação.
    Não vejo o Palmeiras apresentando um futebol de campeão mas as coisas podem mudar e muito nas próximas semanas. Só a imprensa gambá e os próprios para fazerem conta para saber em qual rodada serão campeões!!!
    Os rivais tiveram resultados ruins em casa e contra adversários fracos – Vitória e Atlético. O que vai acontecer quando jogarem contra Fla, Flu, Botafogo, Cruzeiro, Grêmio, Palmeiras, Santos e bambis? Simples. Irão perder muitos pontos. Caso o Grêmio vença o jogo que fecha a rodada 22 contra o Sport em POA, a diferença para o primeiro colocado fica em 7 pontos. Como alguém pode achar que o campeonato acabou, faltando 16 jogos e com esta diferença?
    Forza Palaestra.
    Abraços a boa semana a todos.

    • Márcio Trevisan

      Olá, Marcelo.

      O campeonato não acabou, mas a vantagem “deles” ainda é muito grande.

      Torço muito para que isso não aconteça, mas as chances “deles” serem campeões ainda são gigantescas. Infelizmente.

      Abs.

  9. Bom dia Márcio e Amigos!
    Uma coisa podemos destacar da vitória de ontem é que o time esteve lúcido durante toda partida, salvo os gols de falhas individuais… E o Tchê Tchê jogou bem, acho que a presença do Moisés melhora seu futebol.

    Abraço…

    • Márcio Trevisan

      Talvez, Fágner, a presença de um jogador que o ajude na marcação dê mais tranquilidade ao Tchê Tchê, e isso faça com que seu futebol cresça.

      Mas contra o Galo, em BH, creio que ele terá mais um ao seu lado: Thiago Santos.

      Abs.

  10. Júnior Colletti

    Bom dia amigos!

    Embora já seja rotina, mas, é uma delícia golear as meninas, não?!? Bigode o mais barato e o melhor atacante, disparado, do elenco!!! Muito regular e penso tal qual o amigo Ed, não fosse a lesão, provavelmente teríamos ido mais longe nas Copas.

    E, vale ressaltar aqui, a postura da torcida quando do incidente com o Pratto. Quisera isso se desse em todos os momentos e situações. Eu não paro de zoar com meus cunhados são-paulinos desde o apito final do jogo. Por que eles me zoavam desde a eliminação da Libertadores. Mas, tudo numa boa, com respeito, sem ofensas. Aqueles memes e piadas que, dois dias após as eliminações, até a gente acha graça. Nessas horas que a gente vê que isso aqui ainda tem salvação! Chega de violência!

    E, como o Márcio, penso que não devemos abrir mão do T. Santos. Nessa, o sacrificado deve ser BH ou TT, para que Moisés pense muito mais em armar e jogar de cabeça erguida, do que em recompor e dar combates. O ritmo dele ainda não suporta isso. Aproveitando, gostaria aqui de fazer uma menção ao nosso departamento médico: será que todas essas recuperações “rápidas” são frutos do centro de excelência ou da nova equipe de médicos e equipe multidisciplinar? Ou os dois? Ou coincidências? Ou jogadores de melhor caráter que o Chileno? Faz tempo que estou pra escrever sobre isso, mas, me esqueço! Muito estranho! Moisés… Dudu com previsão de 04 semanas e já ser cotado pra voltar… vamos ver o Mina.

    Abraços!

    • Márcio Trevisan

      Colletti: em relação ao DM, não conheço os atuais médicos, mas se trabalham no Palmeiras é porque têm competência de sobra.

      Mas tais recuperações mais rápidas do que o esperado passa muito, sim, pelo centro de excelência montado pelo clube.

      Abs.

  11. Roberto Alfano

    Bom dia, muito bom jogo, pois corremos atrás do prejuízo, e não nos deixamos abater.

    Embora seja difícil, mais 03 vitórias conseguimos brigar na ponta para incomodar!!!

    Acredita Verdão, vamos firmar e ir com tudo neste Campeonato, ainda dá.

    Abraço.

  12. Bom dia Palmeiristas. Eu estava na cidade do time do Hulk, o Zenit, nos últimos quinze dias, acompanhando o Palmeiras pela internet. Tentei fazer um comentário aqui mas não consegui submeter pelo meu celular. Voltei para dar sorte ao Verdão e deixamos os bambitos de quatro (hehehehehe). Gostaria de lembrar um lance fundamental deste jogo: contra-ataque dos bambes, 3 contra 2, o jogo estava 2 x 2, chance clara delas fazerem o terceiro gol, eis que Edu Dracena rouba a bola e inicia a jogada do nosso terceiro gol. Então eu pergunto ao nosso tutor Trevisan, só por isso o Dracena já não merecia uma nota melhor? Abraços.

    • Márcio Trevisan

      Olá, Tadeu.

      Não, e explico: ele de fato deu um bote na hora certa, mas o Marcos Guilherme (que, aliás, é ótimo) errou ao ar um toque a mais na bola, facilitando sua ação.

      Abs.

  13. Bom dia, Marcio.

    Nossa defesa realmente foi muito mal, aliás, o ponto mais fraco do nosso time. Penso que, se Lucas Prato não tivesse saído em função do choque com Hernanes, teríamos muito mais dificuldades ao longo do jogo.

    Outro fator que me incomodou no início foi o excesso de “chuveirinhos” na área do SPFC. Tudo bem que os caras estavam fechadinhos, mas faltava alguém que, com um pouco mais de talento, mudasse esse cenário. Felizmente Willian Bigode foi esse cara.

    Estou feliz pela vitória, mas também ainda insatisfeito com o que tenho visto em alguns jogadores. Jean e Deyverson podem ser esforçados, mas limitados tecnicamente. Dracena e Luan dão arrepios em alguns lances, diferentemente da dupla que tínhamos no ano passado. Como você mesmo disse, teremos 12 dias de treinamentos. Será que, com esse prazo, teremos um time mais estruturado para o resto do ano?

    Um abraço

    Valter

    • Márcio Trevisan

      Olá, Valter.

      Não acredito muito nesta história de que quando se treina muito há mais chances de se jogar bem.

      Jogador, amigo, odeia treinar.

      Abs.

  14. Márcio, pra mim esse Luan é tão horrível quanto o Juninho. Minha nossa como o Brasil tá ruim de zagueiro. Fernando Prass não vou dizer que falhou pois não falhou, mas não tem mais aqueles reflexos que o fazia pegar bolas impossíveis. Chutou entra. Moisés foi muito mal mas como nunca tinha visto ele jogar uma partida tão ruim, vou dar um crédito e ele tem muitos. William bigode, de longe a melhor contratação do ano, estaríamos tanto na Libertadores como na Copa do Brasil se ele não tivesse machucado. E finalizo com uma pergunta: por que não correm sempre assim ????? Provaram ontem que são sem vergonhas e só jogam quando querem.

    Abraços.

    • Márcio Trevisan

      Oi, Ed.

      Luan – Parece que jogando pela direita é bem melhor do que pela esquerda.
      Prass – Concordo. Faz tempo que não pratica uma daquelas defesas incríveis.
      Moisés – Também concordo. Foi muito mal, mas tem crédito.
      Bigode – Concordo novamente. Para minha surpresa, está bem melhor do que eu esperava.
      Jogadores – Já disse e repito: jogador só corre quando quer ou, então, quando precisa.

      Abs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>