ALEX: UM CRAQUE COMO ANTIGAMENTE

Quando chegou ao Palmeiras, com apenas 19 anos, Alex já era uma grande promessa. Afinal, brilhara no Coritiba/PR e chamara a atenção com um futebol clássico, refinado e de muita habilidade, muito comum no passado mas então já raro em nosso futebol. Aliás, foram exatamente tais qualidades que o elevaram em tempo recorde à condição de ídolo da torcida.
Mesmo às vezes acusado de sonolento, Alex raramente passava mais do que dois ou três jogos sem ter uma grande atuação. Muitas delas, aliás, ficaram para a história, mas uma em especial o torcedor palmeirense guarda no coração: a da semifinal da Copa Libertadores da América, no Palestra, diante do River Plate/ARG, quando o camisa 10 fez dois dos três gols da vitória por 3 a 0, foi o principal responsável pela classificação à grande final do torneio e relembrou as mágicas atuações de nosso maior  camisa 10 – Ademir da Guia.

Alex defendeu o Palmeiras em três oportunidades. Na mais recente, em 2002, viveu outro momento mágico. Numa goleada por 4 a 2 sobre o São Paulo/SP, no Morumbi, marcou um gol antológico: ao receber na entrada da área, deu dois chapéus seguidos nos zagueiros são-paulinos e, na saída do goleiro Rogério Ceni, tocou por cobertura. O lance foi tão fantástico que ganhou mais do que uma placa: um outdoor foi colocado em frente à Academia de Futebol, numa clara provocação à vítima daquela noite, cujo CT se encontra ao lado do palmeirense.

O excelente meia, maior artilheiro do Verdão na Libertadores ao lado de Tupãzinho, com 11 gols, há anos atua no Fenerbahçe/TUR, clube com o qual acaba de renovar contrato por mais dois anos. E se um dia ele voltar a jogar no Brasil, promete: o Palmeiras é um dos favoritos a ter de novo seu mágico talento.

Ficha Técnica

Nome: Alexsandro de Souza
Data e Local de Nascimento: 14.09.1977, em Curitiba/PR
Posição: Meia-Esquerda
Estreia: 05/07/1997 – Palmeiras 4 x 1 Fluminense/RJ
Despedida: 27/04/2002 – Palmeiras 2 x 2 São Paulo/SP
Jogos: 242
Gols: 80
Títulos: Torneio Naranja (Espanha)/97, Copa Mercosul/98, Copa do Brasil/98, Copa Libertadores da América/99, Torneio Rio-São Paulo/2000

Obs.: Esta seção será atualizada em 15/02/2011.

One Response to ALEX: UM CRAQUE COMO ANTIGAMENTE

  1. Johnatans Franklin - Rondônia

    O melhor camisa 10 que eu vi no Verdão. Um verdadeiro craque.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>